A área de relvado no jardim

Agora que todos temos mais tempo para cuidar do jardim, e qualquer desculpa é boa para estar lá fora, propomos que reflita se faz sentido uma grande área de relvado no jardim. 

Claro que tudo depende da forma como o usa e de outros factores, mas deixamos aqui alguns para consideração: 

Apesar de continuar a fazer sentido em alguns espaços, o relvado verdinho passou de moda. 

Os relvados são espaços interessantes sobretudo para recreio ao ar livre no espaço público, mas para pequenos jardins privados são cada vez menos valorizados esteticamente. 

E fará sentido, sobretudo num jardim pequeno a médio?

Com as preocupações de sustentabilidade e escassez de água na ordem do dia, começamos a perceber que a nossa flora tem um imenso potencial por explorar, muita diversidade e características adaptativas que as tornam muito atrativas esteticamente. 

E a boa notícia é que sendo espécies da nossa flora e de outros climas semelhantes, terão mais facilidade de adaptação e menos necessidade de manutenção. 

Um jardim exuberante explora as suas características intrínsecas, estéticas e biológicas para criar um espaço bonito, confortável, harmonioso. 

Se não a utiliza, procure diminuir a sua área de relvado, o gasto de água e a frequência de cortes de relva, deixemos entrar as texturas, cores e cheiros para tirarmos o máximo partido do jardim. 

Junto algumas imagens de plantas autóctones ou adaptadas ao nosso clima, em flor no recém inaugurado parque ribeirinho do oriente, em Lisboa e também fotografias tiradas no Guincho. 

Sendo estes tempos difíceis para estar no exterior aproveite o jardim, varanda ou vasos que tenha em casa para viver a primavera.

Post a comment: